Segundo os especialistas, os Verões vão sendo cada vez mais quentes, um fenómeno que é atribuído ao bonito serviço que o Homem tem feito no planeta, mas que também pode ser só uma cena atmosférica de que ninguém tem culpa.

Certo é que as temperaturas máximas vão subir. Para além disso, o Verão passará a ser de quinze em quinze dias, alternando com o Inverno.

“Estas mudanças são sobretudo complicadas para os meteorologistas, que há muito tempo que nem faziam as previsões, mandavam apenas número aproximados”, explica Simplício, do IPMA, “por isso é que se diz que falhamos muito, mas na verdade nós acertamos é pouco, porque a gente dizia a assim ‘amanhã vai estar 32.º de máxima’, e se não fosse 32.º era 28.º ou 34.º, mas agora podem estar menos de 10 graus”.

Para as pessoas ligadas à moda, as colecções também estão a mudar bastante. “Já não temos o Primavera/Verão, agora é o Não Faço Ideia/Impossível Saber”, explica também Paulinho Simplício, designer da Casa Pirose.