A obra Os Lusíadas podia ser bastante diferente se Camões a tivesse escrito no telemóvel, é a conclusão de um estudo realizado por pessoas da área das Letras. O facto de ter escrito num computador Magalhães acabaria por ser decisivo para o enredo.

Logo o primeiro verso do Canto Primeiro seria “As armas é os barões assinalados”, o que, segundo estes especialistas, mudaria tudo em todos os cantos.

“Repare que as armas é os barões assinalados, ou seja, mesmo a própria contenda teria outro desenlace, porque seriam usados barões assinalados como armas”, explica o professor Simplício. “Na versão escrita no Magalhães, as armas e os barões assinalados foram à descoberta, mas na versão do telefone as armas eram os barões, ou seja, nem se passava além da Fonte da Telha, quanto mais da Taprobana, que na versão do telefone seria qualquer coisa como Tapioca”, acrescenta este professor.

Ainda na primeira estrofe, os heróis não edificariam nada entre gente remota, mas sim adiariam entre gente preguiçosa, um Novo Reino que tanto sublinharam, em vez de sublimaram como o poeta escreveu.

Recorde-se que este estudo é importante para se ter a noção de que o que se escreve actualmente nos smartphones pode ser completamente diferente daquilo que seria escrito num calhau, na pele de um animal, em papiro, papel ou até num computador convencional, que era mais directo da alma.

“Hoje qualquer coisa escrita é um misto daquilo que queremos dizer mas também do que se oferece dizer ao telefone”, conclui Simplício.