Um estudo da Fundação Simplício dos Santos, publicado esta sexta-feira, conclui que para a Segurança Social não falir de vez, era preciso os portugueses trabalharem, pelo menos, até ao Reino Unido sair da União Europeia.

“Até aos 69 não chega não, pfuiiii, nem pensar, está frio, muito frio”, admite um dos responsáveis por este estudo, que já recebeu críticas por parte do Governo.

“Nem vai ser preciso os portugueses trabalharem um único dia, quanto mais até ao Brexit”, garante o primo da Segurança Social, “calma, a reforma vai ser no final do ensino secundário”.