Foi ontem anunciado o novo aeroporto de Lisboa, que será no Montijo. A decisão está tomada e o primeiro-ministro até disse que devia ter sido tomada há 50 anos, porque culpar governos anteriores já não basta, agora até se vai à história. Na volta, Manuel Luís Goucha chama outra vez o Machado para lhe perguntar pelo aeroporto no Montijo. 

No entanto, o Governo, pelo primeiro-ministro e pelo ministro das infra-estruturas, já avisou que calma, esta decisão é irrevogável porque falta o estudo de impacto ambiental e ainda falta também avaliar a segurança. Pormenores, claro, que só podem inviabilizar todo o projecto. Resumindo, o novo aeroporto pode ser tanto no Montijo como o Infarmed no Porto. Mas o que importa é que a decisão está tomada e é irrevogável. 

No caso de não avançar nada, então a culpa é do estudo de impacto ambiental – recorde-se que aquela zona é praticamente um coral – e das questões de segurança – voam vacas ali. Se nos aeroportos cresce o problema com drones, o Montijo será sempre um risco por causa do gado alado. Agora é arranjar-lhes um regulamento e esperar que respeitem, porque o gado só é bravo porque a gente não o trata com respeito. 

No caso então de o aeroporto não avançar, calma, porque não há plano B. Também não seria necessário, porque a decisão está tomada e isso é que importa. Há sempre o risco de nada avançar, há, mas o pessimismo tem de começar a ser objecto de coima pela autoridade tributária. Até porque, no caso de não avançar e de o assunto ser badalado, então o Presidente da República entra nesse dia no episódio da novela e não se falará noutra coisa. 

Entretanto, na faustosa cerimónia, um senhor de uma confederação de turismo – se não é isto, é parecido – lembrou que Lisboa é das poucas capitais que tem um aeroporto no meio. Bem lembrado. É por isso que as outras capitais europeias estão todas à rasca. Temos pena. Tivessem um aeroporto no meio. Mas o mesmo cavalheiro foi mais longe e lembrou que o Montijo também é muito perto de Lisboa. Chegou mesmo a dizer “como se viu ali no vídeo”. Estava a referir-se ao vídeo de apresentação do projecto. O senhor do turismo parece um clickbait: Veja o Vídeo! 

Até a Madonna sabe que o Montijo é ao lado de Lisboa, como é que o senhor do Turismo ficou tão deslumbrado com o tal vídeo? Se calha terem posto a vista ainda mais de cima, estou certo que conseguiria ver a sua própria casa, que será no Lumiar mas com um bom zoom vai-se a pé até ao Montijo. 

Por fim, uma palavra para os senhores da Vinci, que é quem gere os aeroportos nacionais e ainda o pombal de Beja. Estão muito entusiasmados com isto tudo e já se ofereceram para pagar o aeroporto. Para já, espero que se tenham chegado à frente com esta cerimónia. Já era bom. Mas eles dizem que depois do estudo de impacto ambiental e de a segurança estar assegurada, então só precisam de 36 meses para pôr o Montijo operacional. Com isto, os portugueses já nem querem saber do novo aeroporto. Só querem saber quem é o empreiteiro dos franceses da Avinci. Em 36 meses, em Portugal, nem sequer chegam os sanitários. “Mas disseram que era hoje, sem falta.” 

Depois de ser visto no autocarro, ainda se vai ver António Costa ao volante do cilindro, a terraplenar a pista do Montijo. Porque ele é dos que está mais decidido e nem precisou de estudar o assunto. É mesmo ali. Se for. Porque a culpa é daqueles incompetentes de há 50 anos que não foram capazes de ver a Madonna.