Apesar de agradecer o entusiasmo com que se celebra o seu dia, o Santo António admite que tinha pensado numa festa mais calma, uma roda e alguém com uma viola a tocar as músicas do Padre Borga. 

“Quando começámos a pensar na minha festa, estávamos num grupo… mas não era num grupo de Whatsapp, que na altura não havia, estávamos num grupo ali em São Vicente de Fora e a minha ideia era uma celebração calma, porque eu não gosto de confusões”, explica o Santo. 

No entanto, o Santo já na altura pensava em ir para Pádua e os seus amigos queriam fazer-lhe uma festa à antiga. 

“Mas António, quem é esse Padre Borga, de quem nunca ouvimos falar”, perguntou Simplício, que estava no grupo. “É um padre muito divertido que haverá daqui por uns séculos”, explicou o Santo. 

Certo é que avançou a ideia dos seus amigos e montaram-se os palcos, os grelhadores, contrataram-se músicos e compraram-se todos os barris de cerveja do mundo. 

“Não era preciso”, comentou o Santo António, na primeira edição das suas festas.