A GNR já não vai, como estava previsto, para uma missão na República Centro-Africana. E a Força Aérea, que entretanto também ia, também já não vai. Vai só lá o Quaresma dizer para se manterem todos em paz, senão ele tem um descontrolo emocional.

 

Portugal poupa assim muito dinheiro e o sucesso da missão está mais perto de ser garantido, porque, enfim, com a GNR e com a Força Aérea ainda se faz farinha.