“O que é que não percebeste em movimento dos coletes amarelos?”, interrogou Simplício, um dos coordenadores do protesto dos coletes amarelo. “Mas isto é a moda Lisboa ou protesto?”, quis saber o outro, “só tinha este colete na viatura, também está amolgado pela DGV, ficas sabendo”. 

A conversa acabaria por descambar e os dois revoltosos envolveram-se em confrontos, rasgando os próprios coletes. 

“Agora como é que eu vou protestar?”, lamentou Simplício, ao ver o estado em que ficou o seu colete amarelo. “Quem tem mais um colete amarelo para este camarada?”, gritou entretanto outro manifestante, numa altura em que se fez silêncio no protesto.

“Cama quê? Camarada?”, perguntou então Simplício, envolvendo-se novamente em confrontos, até perceber que não podia estar a protestar sem colete. “Alguém meta este indivíduo na ordem ou empreste-me o colete”, interrompeu.