Continua a discussão em torno dos prémios distribuídos pela TAP a 180 trabalhadores. Entre o Governo e a administração já está tudo bem, felizmente, porque os portugueses não gostam de ver ninguém chateado, mas o Imprensa Falsa sabe que os trabalhadores exigem agora que os prémios sejam atribuídos não em função do desempenho, nem dos resultados da empresa, mas sim dos atrasos dos voos. 

“A ideia é somar os minutos de atrasos, converter minutos em euros e distribuir pelos funcionários”, explica Simplício, um dos funcionários que ganhou este ano 20 mil euros em prémios, mas que teria arrecadado 2 milhões se a referência fosse os atrasos. 

“Eu recebi 20 mil euros mas já gastei tudo, porque tomei um café no aeroporto, que custou 8000 euros, depois apetecia-me um pastel de nata, olhe, foi o prémio todo…”, acrescenta Simplício. 

Recorde-se que a TAP distribuiu este ano 1,17 milhões de euros em prémios por 180 trabalhadores. Se os prémios fossem indexados aos atrasos dos voos teria distribuído um valor incalculável a todos os trabalhadores.