A dor de cabeça passou a ser apenas a segunda desculpa mais usada quando não se pretende fazer o amor. O pedido de registo no Nónio passou a ser a técnica principal.

“Ai, adorava querido, mas olha para continuarmos vais ter de te registar no Nónio”, afirmava, há instantes, Simplícia. “Olha, é muito fácil…”, começou a explicar mas Simplício já se tinha voltado para outro lado. 

O homem ainda tentou aparecer pela calada, de gabardine, numa espécie de navegação anónima, para ver se contornava o sistema, mas não foi feliz. “Tens mesmo de te registar, querido.”