Nem aos 60, nem aos 65, nem aos 69, os funcionários das áreas de serviço vão poder reformar-se já a partir de amanhã, independentemente da idade.

Nas últimas horas, os trabalhadores das bombas de gasolina trabalharam o equivalente a 40 anos de descontos.

“Então, eu anteontem ainda não tinha barba e agora estou cheio de cabelos brancos”, explica um destes funcionários, que terá atendido 10% do parque automóvel português, ainda nem tinha começado o seu turno.

Segundo o Imprensa Falsa conseguiu apurar, para além do trabalho, a maior dificuldade é o computador sempre a apitar, os fregueses a dizer que a mangueira não deita, o computador a apitar, este agora quer número de contribuinte e tinha dito não que não precisava, olha, agora este quer 50 litros de gasóleo e um abatanado, mais uma sandes mista, e o computador a apitar, bomba 5, já abasteceu?, pode ir que eu vou abrir, este tem cartão de pontos e este agora veio lavar o carro com o fim do mundo em curso e ainda por cima a chover.

“Parece que vamos a Fátima, mas eu já não oiço bem, oxalá ele vá parando porque eu não aguento muito o xixi”, explica Simplício, um jovem de 24 anos, reformado da Repsol, que vai em excursão.

Certo é que, sem esta possibilidade de reforma antecipada, muito provavelmente estes trabalhadores entrariam em greve, correndo-se o risco de chegar o combustível e irem-se embora os funcionários.