O candidato que venceu as eleições intercalares norte-americanas no Estado do Nevada tem a particularidade de já ter morrido, uma vantagem política cada vez maior, desde logo porque não podem participar nos debates. 

No entanto, esta eleição causou alguma estranheza, com muita gente a interrogar-se sobre como poderá decorrer um mandato executado por alguém que já morreu. “Simples”, garante fonte do defunto, “o governador arranjou um deputado em Portugal para lhe assinar as presenças”. 

Certo é que, ao que tudo indica, o defunto irá mesmo participar na sua tomada de posse ou pelo menos vai assinar.