Simplício pensava que era só mais um amuo, mas a verdade é que o seu carro autónomo saiu ontem ao fim da noite, sem dizer para onde ia e ainda não voltou. 

“Tivemos uma discussão, já se sabe, acontece entre todas as pessoas e os seus carros autónomos, ele queria ver uma novela mas eu queria ver o debate entre os candidatos ao Sporting”, relata Simplício, “depois ouvi o portão da garagem a abrir mas pensei que fosse só comprar cigarros ou qualquer coisa, mas ainda voltou e nem me levou ao trabalho”. 

Para agravar a situação, o carro não conhece bem a zona, uma vez que é novo. “Ele tem o GPS, mas não é a mesma coisa”. 

Simplício já tentou ligar, mas como seria de esperar, o carro tem o telefone desligado. “Estou muito apoquentado, porque eu entretanto já não sei guiar, tenho ali ainda o Peugeot da minha mulher, mas nem sei dar à chave”, acrescenta Simplício. O Peugeot também nunca foi bem aceite pelo carro autónomo, que terá perguntado, quando chegou pela primeira vez a casa, se “aquela carrinha vai continuar ali?”.