Com a discussão aberta sobre a educação sexual nas escolas, os alunos já vieram dizer, num estudo, que querem que essa disciplina seja leccionada de forma mais interessante. Para além disso, ao contrário de todas as outras matérias, neste caso gostavam de ter trabalhos de casa. 

“Tipo, eu sempre ouvi dizer que é muito importante tipo treinar em casa”, explica um aluno do secundário. “Porque tipo, eu para as aulas de músicas tive de tocar flauta em casa, penso que para educação sexual também devia tocar o pífaro”, continua, admitindo que o faz mesmo sem ser pedido pelo docente. 

“Eu sou um estudioso, admito”, admite. 

Por parte dos professores, reconhecem que o trabalho em casa é importante e explicam que só não têm pedido TPC’s neste caso porque sabem que os alunos já praticam bastante. “Nomeadamente em grupo”, lembra Simplício, professor de Educação Sexual na C+S de Rambóia.