“2+2=6”: Depois da greve, professores admitem endurecer a luta e começar a ensinar tudo errado

O sindicato dos professores agendou uma greve que começa hoje e dura quatro dias, portanto deve acabar lá para sexta-feira, o que levantou logo a discussão sobre o motivo para nunca se marcar greves para o fim-de-semana.

As reuniões de ontem com o governo não correram bem e a greve foi mantida. O executivo terá tentado oferecer entradas no estádio da Luz para os professores, que é uma coisa que às vezes resulta, mas não foi suficiente.

Entretanto, o Imprensa Falsa sabe que depois desta acção, o sindicato admite endurecer a luta e partir para outro protesto, mais concretamente ensinar tudo errado aos alunos. “2+2 se calhar são 6 e “há” do verbo haver se calhar não leva ‘h’, se calhar não leva…”, afirmou há instantes Mário Greves, da Fenprof.

Sobre o autor

Zé Pedro Silva
facebook.com/zepiter | instagram.com/zepiter | zepiter@gmail.com