Todos os anos é a mesma coisa, os contribuintes deixam a entrega do IRS para o último dia, o portal das Finanças cede e o Governo tem de dar mais uns dias. No entanto, este ano foi ao contrário. A azáfama foi logo no primeiro dia, porque calhou a 1 de Abril, dia das mentiras. 

“Coloquei mais um zero em todas as despesas”, explica uma contribuinte, que já sabe o que vai dizer se for apanhado: “Então, era dia das mentiras. Foi só uma brincadeira. Também temos de nos divertir, não pode ser só trabalhar.”

Certo é que nunca se viu tanta gente a entregar o IRS no primeiro dia. Rui Pinto, o hacker que o governo português chamou para gerir o portal das Finanças por estes dias, está com muita dificuldade em manter no ar a página. “Nunca entrei em nada tão complicado”, admite.