Editora explica que o exercício para as meninas era mais fácil porque sabe que elas depois também têm de resolver o dos meninos

Uma editora viu-se esta terça-feira envolvida num escândalo, tudo porque um progenitor terá tentado responder correctamente ao livro de exercícios para crianças dos 4 aos 6 anos, tendo descoberto que alguns exercícios para rapazes eram mais difíceis do que para as raparigas.

“Não consegui responder ao exercício no livro da minha filha e quando fui ver o do meu filho ainda era mais difícil”, lamenta Simplício.

A editora está também a ser acusada de fazer livros diferentes para rapazes e para raparigas, numa altura em que a distinção já é em gigas. Podem ter 32 ou 64 gigas, por exemplo.

Entretanto, a empresa já explicou a diferença na dificuldade do exercício em causa, explicando que fez um mais fácil para as meninas pois já sabia que também seriam elas a resolver o dos meninos, já aos chutos numa bola contra uma parede para se acalmarem depois de não conseguirem levar o pirata até à caravela, pelo labirinto.

“A diferença era fazer um exercício difícil e um fácil, para as meninas, ou dois difíceis”, explica João Lombada, da editora.

Share

Sobre o autor

Zé Pedro Silva

facebook.com/zepiter | twitter.com/zepiter | [email protected]